Por uma beleza mais democrática

Padrão

Quem leu meu post de estréia sabe que eu já tive intenção de fazer um blog sobre moda e também sabe os meus motivos para não o fazer. O caso é que eu gosto de ler e pesquisar sobre moda, e pra essas férias não se tornarem o maior tédio, eu comprei uma revista sobre o assunto que eu nunca tinha lido. Não vou dizer o nome, mas é uma publicação que fala de “coisas femininas” no geral: cosméticos, saúde, alimentação, etc.

Pois bem.  Como a revista é do mês de janeiro, há uma matéria que dá dicas sobre o que fazer ao longo dos próximos 12 meses pra se manter bonita, na moda e com o corpo em forma.  No parágrafo dedicado ao mês de outubro, a dica é combater a celulite e a flacidez com tratamentos específicos, com aparelhos massageadores que emitem raios infravermelhos e outras tecnologias. Várias técnicas são citadas na matéria, que inclusive traz os preços de cada tratamento. O mais barato custa de R$300 a R$900, e são recomendadas 10 sessões. O outro pode custar de R$3,5 mil até R$10 mil, e apenas uma sessão é suficiente.

Lendo uma revista desse tipo, voltada ao público feminino, já é esperado encontrar produtos com preços exorbitantes. Não só nos tratamentos de beleza, mas também em acessórios, como uma bolsa que custa R$ 7500. Não estou dizendo com isso que sou contra a vaidade e a vontade de se cuidar. Muito pelo contrário! Sou totalmente a favor! Mas o que me impressiona é que parece que nenhuma publicação que trate de moda e assuntos femininos parece pensar que pelo menos 90% das mulheres brasileiras pertencem a classes sociais que não têm acesso a produtos que chegam a esse preço.

Toda a mulher tem o direito de usar uma roupa ou um acessório que a faça sentir-se bem consigo mesma. E é aí que mora o problema. Por que não trazer alternativas eficazes para mulheres que não podem gastar 10 mil em um tratamento contra celulite? Por que não dar espaço ao batom de R$5 vendido em qualquer farmácia e que tem a cor parecida com o de R$100 de uma grife exclusivíssima?

Não vou mentir e dizer que não cobiço algumas coisas “de marca” que vejo por aí. Mas não vou morrer porque não posso comprá-las, e certamente vou pesquisar pra encontrar uma alternativa com preço mais em conta. Ninguém deve seguir à risca tudo o que a publicação X traz como tendência. Elas servem apenas para nos inspirar, nada além disso.

Acho que essa “mania” de fazer tudo relacionado à beleza parecer tão caro, tão inacessível pra maior parte da população, é uma das causas pelas quais muita gente acha que moda é só futilidade.  Não sei de nenhuma revista que tenha a tradição de trazer esses produtos alternativos, e tenho a esperança de um dia ver isso mudar. Talvez seja esse o motivo dos blogs de moda estarem tão… na moda, e ganharem acessos e leitoras fiéis todos os dias. Eles são de graça, são muito mais democráticos que as revistas, e procuram atender a todos os pedidos de suas leitoras, enquanto as publicações impressas são somente mais do mesmo.

Não saia por aí fazendo tratamentos de beleza que custam mais que os olhos da sua cara. Não saia por aí usando uma calça verde com bolinhas azuis só porque alguma fashionista disse que é tendência. Estar na moda é estar feliz consigo mesma, e usar o que é mais adequado para sua forma física. A moda é pra todas e deve ser feita por todas.

Qual a sua opinião? Você se interessa por algo relacionado à moda? Discuta!

Anúncios

»

  1. Ai, amiga. Como é triste a gente ver todas essas formas de tratamento pra n coisas e não poder usufruir nenhuma, né? E, como tu disse, pra grande maioria, infelizmente, é assim… Eu concordo contigo quando tu diz que estar na moda é sentir-se bem consigo mesma. Eu tô pouco ligando se fulana de tal disse que isso ou aquilo é tendência, que isso ou aquilo já está fora de moda etc. Se eu me sinto bem, que mal tem? Além do mais, não preciso ter tudo do mais caro pra me sentir “na moda”. A moda a gente é quem faz, bem o que tu disse! Tomara mesmo que algum dia uma feliz alma nos proporcione todas essas “futilidades” com preços mais dentro da realidade. Enquanto isso não acontece, a gente se vira como pode, né! Ótimo post, amiga, beijo!

    • Pois é, Nate. Tem que cuidar pra não se deslumbrar demais com essa idéia que as revistas tentam colocar na nossa cabeça de que só estão na moda as coisas mais caras. Não dá pra ir nessa. E eu nem digo que as coisas que são caras tem que se tornar mais acessíveis, até porque alguma vezes, devido à matéria prima utilizada e outras coisas, isso fica meio impossível. Mas sim que as coisas acessíveis sejam mostradas, o que não acontece nas revistas especializadas em beleza, mas acontece (ainda bem) nos blogs. Vamos esperar que as pessoas se conscientizem de que o mais caro nem sempre é o “melhor”. Obrigada pelo comentário amiga! Beijo

  2. Ai flor tô tão feliz pelo teu blog, nem me comentou nada né sua fresca. Teu post ta mara, e é bem isso que acontece mesmo. Saudade das nossas conversas sobre moda, agora não tenho com quem conversar sobre coisas frescas.
    Vou acompanhar sempre teu blog flor.
    Mil beijos

    • Ai amiga!!! Que bom que tu gostou! Pois é, eu acabei não comentando com ninguém, só divulguei no orkut, no twitter e no facebook, e as pessoas foram visitando…
      Também tenho saudade de ter alguém com quem conversar sobre “coisas frescas” rsrsrsrsrs. Mas tu é uma menina muito atarefada né, e eu também não tive muito tempo nos últimos meses pra gente conversar…
      Fico feliz que tu vá acompanhar o blog, seja sempre bem-vinda!
      Beijo

  3. Concordo plenamente que muitas coisas colocadas em revistas a maioria da populacao nunca tera acesso! Sem falar nos corpos das modelos que sempre te fazem se sentir acima do peso! Enfim, fico triste quando reparro que apresentar coisas como elas realmente sao mostrando a beleza natural nao e reconhecido e a maioria das pessoas nao tem interesse! Quem sabe um dia, right?!
    bjus

    • Pois é, se fossemos falar de tudo que está errado no mundo da moda, um post só seria pouco! O que acontece é que a moda, ao invés de incentivar a mulher a valorizar o que ela tem de bonito, acaba fazendo-a sentir-se feia, porque ela não é magra como deve ser, não tem o cabelo como deve ser, não tem grana pra comprar as roupas certas… enfim! Um monte de coisa! Obrigada pelo seu comentário! Volte sempre 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s