Arquivo mensal: abril 2011

O retorno e O Fim

Padrão

Oi gente!

Minha nossa, faz menos de um mês que eu não posto nada aqui, e parece que faz uma eternidade (não que 1 mês seja pouco)! Mas, mesmo estando ‘disponível no mercado de trabalho’, ou seja, sem emprego, a faculdade anda me ocupando muito tempo. Hoje foi o meu primeiro dia de ócio em muito tempo. E como boa “blogueira”, vim aqui dar sinal de vida, e dizer que o blog não morreu, apenas vai ser atualizado com menos frequência do que eu gostaria.

Quero aproveitar pra agradecer toooodo o pessoal que divulgou, comentou, linkou o último post (sobre o cachorrinho). A ajuda de vocês foi muito importante, e bem maior do que eu esperava!

Agora, vamos ao que interessa:

Essa semana saiu o primeiro trailer oficial do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte, parte 2. E eu, como fã fervorosa e assumida do Harry, fui correndo assistir, sem legenda mesmo. Vejam aí o trailer:

Gente, o nó que se formou na minha garganta enquanto eu assistia esse trailer foi gigantesco. Nem acredito que consegui me controlar e não chorar. Tenho certeza que tem um monte de gente pensando “nossa, que ridículo, só por causa de um filme”, ou qualquer  coisa parecida. Mas pra mim, sem exagero, é o fim de uma era.

Eu conheci Harry Potter quando fui assistir o primeiro filme, em 2001. E admito que fui mais porque minha mãe tava interessada em ver, eu nem queria muito! rs! Só que eu me encantei. Aí, no Natal desse mesmo ano, eu ganhei o primeiro livro, a Pedra Filosofal, e aí já não tinha mais volta. Eu virei fã mesmo, e logo em seguida li os outros três livros, e passei a esperar pelo quinto ansiosamente.

Eu só tinha 10 anos quando conheci o incrível e, com o perdão do trocadilho, mágico trabalho da J.K. Rowling. Nunca tinha lido um livro com mais de 150 páginas na minha vida. Nunca pensei que fosse ler um com mais de 500. Harry Potter foi o que me fez gostar de ler de verdade. Eu posso dizer que cresci com o Harry, porque quando o último livro foi lançado em 2007, eu tinha 16 anos. Lembro que comprei as Relíquias da Morte na pré-venda, e no dia do lançamento ele chegou na minha casa. Quando eu abri e li esse agradecimento da autora:

“Este livro é dedicado a sete pessoas: a Neil, a Jessica, a David, a Kenzie, a Di, a Anne, e a você, que acompanhou Harry até o fim.”

Eu não pude conter as minha lágrimas, porque eu sabia que aquele seria o último.

Mas depois vieram os outros filmes, eu reli os livros, me conformei e não senti tanta falta assim. Até agora.

Porque agora acabou de vez. Depois do lançamento deste último filme, em 15 de Julho, não terão mais filmes, livros, nada. E isso significa muito!

Harry Potter fez parte da minha infância e da minha adolescência. O Harry me ensinou a ser fiel aos amigos, a ter coragem, a enfrentar quem quer que possa querer nos fazer mal. Foi uma boa influência em uma idade em que qualquer influência negativa pode ser muito, mas muito ruim.

Os livros da J.K.Rowling eu vou guardar, porque se um dia eu tiver filhos, quero que eles leiam e se encantem como eu me encantei.

Ok, agora chega. Eu já tô chorando litros aqui escrevendo esse post! Mas eu precisava falar (escrever, no caso).

**Você que não é fã do Harry, me desculpe, mas provavelmente você não vai entender (e nem gostar) (d)esse post.

*** Você que é, compatilhe suas opiniões nos comentários.

Esse post é dedicado a cada fã que, assim como eu, vai chorar a “perda” do Harry.

Urgente!

Padrão

Gente, olha que história:

Hoje à tarde, lá por umas 15 horas, minha tia me ligou avisando que tinha visto duas mulheres abrirem a porta de um carro e jogar um poodle pra fora, em pleno centro da cidade de Esteio – RS.

Ela ficou a tarde toda tentando pegar o cachorro, tentando atraí-lo com água e comida, mas ele estava muito arisco e corria atrás de todos os carros que passavam pela rua, procurando pela dona. Umas duas horas depois, ela conseguiu se aproximar. Levou ele num pet shop pra tomar banho, porque o coitadinho estava bem sujinho, com o pelo todo amarelado.

Acontece que a minha tia tem 2 cachorras: uma rottweiller e uma mestiça de pincher, e elas são velhinhas e não aceitam outros animais. Além disso, ela trabalha o dia todo e não quer deixar o pobrezinho sozinho, porque ele está muito assustado e ainda foge quando a gente tenta se aproximar. Eu fui ver o cachorrinho e tirei umas fotos pra mostrar pra vocês:

Ele é de porte pequeno, e me parece ser de raça.

Peço POR FAVOR que divulguem esse post! Se alguém tiver interesse em adotá-lo, eu posso levar até a casa da pessoa, desde que ela seja da região metropolitana de Porto Alegre e redondeza.

Mesmo que você não possa ficar com ele, avise pra alguém que talvez tenha interesse e que você saiba que vai poder dedicar tempo a esse bebê.

Se alguém quiser mais informações, pode entrar em contato comigo através do e-mail do blog: mundoatravesdaslentes@gmail.com

Desde já agradeço MUITO pela ajuda! 😉